Classroom Management – Gestão de sala de aula para educação infantil

Classroom Management – Gestão de sala de aula para educação infantil

Um dos maiores receios de professores de inglês que consideram lecionar para crianças é o tal classroom management. Na minha carreira de professora de inglês e treinadora de professores percebi que gerir bem uma sala de aula está intimamente ligado a ter melhores resultados linguísticos. Mas como manter a ordem e a harmonia entre os pequenos na sala de aula e ensinar inglês ao mesmo tempo?

Quando um professor planeja bem uma aula de inglês, observa seus alunos e se comunica adequadamente com as famílias e direção da escola, as chances de ter uma sala de aula harmoniosa são muito maiores. São maiores também as chances de passar satisfatoriamente o conteúdo planejado.

E o que fazer para colocar isso na prática? Eu resumi pra você em 7 os pontos mais importantes no que se refere a classroom management. Vamos a eles:

1. O seu comportamento deve ser exemplar para o sucesso do classroom management

É um equívoco achar que podemos educar uma criança com sermões. Nosso exemplo é o que realmente conta. Se gritamos, a criança grita. Se somos gentis e respeitosos temos muito mais chances de termos um grupo harmonioso. Se erramos, devemos pedir desculpas.

Sim, é você quem estabelece o ritmo de andamento da sua sessão assim como os códigos de conduta. Mas não basta ter as “classroom rules” coladas na parede: você deve segui-las fielmente e jamais abusar da sua posição de líder.

2. O ambiente deve ser pensado para as crianças.

As salas de aula tendem a restringir os movimentos das crianças e os professores tendem a mantê-las em filas, sentadas, a maior parte do tempo. Essa busca do adulto por controle acaba por limitar as oportunidades que a criança tem de se mover e é, muitas vezes, confundida com bom classroom management. O fato de uma criança estar sentada todo o tempo não significa que ela esteja aprendendo.

Nas sessões em inglês, especialmente na pré-escola, nós professores podemos e devemos aproveitar todas as oportunidades para usar movimento. Isso não só vai favorecer a absorção do vocabulário ensinado como deixar as crianças mais felizes e tranquilas (falo muito sobre isso no post Usar atividades de corpo e movimento na educação infantil).  Para isso é preciso adaptar a sala de aula, afastando as carteiras e deixando um espaço no centro para as atividades em círculo, danças e jogos. Achar que atividades com movimento vão “agitar” as crianças é um grande equívoco: a falta delas sim é prejudicial e quase sempre leva a crianças inquietas.

3. O planejamento deve estar pronto desde o começo do ano letivo.

Se você for se lembrar de uma coisa apenas deste texto inteiro, que seja da seguinte: entrar em sala de aula sem ter planejado cuidadosamente o que vai ser feito naquele dia é o maior erro que um professor pode cometer. E não importa a idade dos seus alunos: de Very Young learners a adultos, entrar em sala sem plano de aula é, quase sempre, prelúdio de estresse, descontentamento e bagunça.

Um bom classroom management -ou uma gestão eficaz da sala de aula – só é possível com planejamento prévio eficaz, de preferência no começo do ano letivo.

E por quê?

Vamos considerar que a maioria dos professores de inglês planeja suas aulas nos fins de semana. Quanto mais tempo gasto nessa atividade, menos tempo para descansar e se aprimorar. No entanto, se o “grosso” do planejamento for feito antes do começo do ano, fica tudo mais fácil. O professor precisa de menos tempo para preparar as sessões pois já tem os tópicos e as atividades de arte definidas.

Outra vantagem do planejamento anual- que reflete diretamente no classroom management– é a possibilidade de ter todos os materiais necessários à disposição para o uso. Quando sabemos desde o início do ano do que vamos precisar para trabalhar com as crianças, fica mais fácil conseguir tudo, seja com a direção da escola, seja com os pais. Diminuem, assim, as chances de você adiar aquela atividade de pintura, que as crianças iriam amar, por falta de material.

4. Os pais devem estar por dentro do que acontece na sala de aula.

Quando escola e família se comunicam com eficácia, todo mundo ganha. Quando enviamos, desde o início do ano, comunicados avisando sobre os tópicos abordados aquele mês, projetos e relatórios, os pais ficam mais confiantes e cobram menos da escola.

Da mesma forma, muitas famílias tentam apoiar as crianças em casa com vídeos e músicas dos temas abordados e isso deixa as crianças mais motivadas em sala de aula. Crianças motivadas a aprender e orgulhosas do que sabem são mais receptivas e cooperam muito mais durante as sessões deixando mais fácil o classroom management. Alunos motivados agem como mini-teachers e sabemos a contribuição gigantescas que eles nos dão no dia-a-dia!

5. “Estrelinhas” não funcionam a longo prazo

O uso dos “stickers” e estrelinhas tem sido muito difundido como recurso na manutenção da ordem no que se refere a classroom management. No entanto, há controvérsias quanto a sua eficácia a longo prazo!

Premiar a criança por algo que normalmente é natural para ela (aprender, no caso) pode passar uma mensagem equivocada e criar uma dependência psicológica do adulto. A criança que é premiada até por fazer o que é bom para ela mesma perde a noção de autonomia e passa a agir sempre focada nas reações e recompensas que os adultos oferecem.

Melhor seria, desde o início do ano, desenvolver um clima de conexão e cooperação entre você e seus alunos… e não de competição. Better said than done! você pode argumentar. Verdade: dá muito mais trabalho criar um ambiente de cooperação do que “comprar” o bom-comportamento dos alunos, mas, acredite, o tiro pode sair pela culatra. Falo mais sobre os perigos das “estrelinhas” no vídeo abaixo:

6. Ser flexível é preciso.

Por falar em negociação, vale lembrar que para manter um ambiente harmônico é importante negociar com o seu planejamento. Talvez você tenha planejado uma sessão maravilhosa sobre abelhas, mas, de repente, uma borboleta entra na sala e as crianças ficam encantadas.

Nesse caso vale a pena contar aquela história “The Very Hungry Catterpilar” que estava programada para o mês seguinte e deixar as abelhas para outro dia. Como disse Montessori, “a prova de sucesso da nossa ação educativa é a felicidade da criança.”

7. Saiba a hora de pedir ajuda.

Por melhor que você se planeje, se prepare e se dedique, ainda assim, pode ser difícil implementar o modelo de classroom management que você idealizou. Isso pode ser devido a um grupo muito numeroso e/ou heterogêneo, uma sala de aula muito quente, falta de assistência ou carência de recursos.

Não tenha medo de pedir ajuda. Fale com a direção da escola. Converse com os pais daquele aluno que está demonstrando um comportamento disruptivo, tente descobrir o que pode ser feito. Busque um grupo de apoio de professores que, como você, se sentem sobrecarregado(a) e/ou quer compartilhar ideias. Busque um profissional de saúde se você não está se sentindo bem, está perdendo a voz com frequência ou apresenta sintomas de fadiga. Cuide-se bem e siga estudando que as respostas virão.

Se quiser saber mais sobre ensino de inglês na infância, seja em casa ou na escola visite o nosso instagram @prof.robertamaldonado

Baixe gratuitamente o E-BOOK 12 Canais do YouTube que todo professor de inglês para VYL deveria conhecer.